Bem-Estar Corporativo

Como evitar que as doenças ocupacionais afetem sua equipe

12 de set. de 2023
Última alteração 8 de mai. de 2024

Talvez você já tenha ouvido em um antigo ditado que “o trabalho enobrece o homem”. E isso é verdade, claro. Mas, infelizmente, hoje em dia também é preciso dizer que o trabalho pode adoecer o homem.

Pelos mais variados motivos, as pessoas estão colocando em risco sua saúde enquanto realizam suas atividades profissionais, e isso leva ao surgimento das chamadas doenças ocupacionais. Essas patologias podem ser as mais diversas, mas todas têm algo em comum: prejudicam a saúde dos colaboradores e do negócio.

Por isso, é importante saber o que são doenças ocupacionais, como elas surgem e o que você pode fazer para evitar que esses problemas de saúde afetem sua força de trabalho. E este artigo está aqui para ajudar!

Faça parte do canal Wellhub Para Empresas no WhatsApp

O que são doenças ocupacionais

Uma doença ocupacional é qualquer tipo de doença que seja causada pela realização de uma atividade profissional específica. Em outras palavras, é uma condição clínica ou patologia que o colaborador adquire por fazer seu trabalho, e há uma relação de causa e consequência envolvida: é o exercício da ocupação que causa o problema a quem a executa.

As doenças ocupacionais podem ser tanto físicas quanto mentais e surgir de diversas formas, mas algumas das causas mais comuns são movimentos ou esforços repetitivos, exposição a materiais perigosos, ambientes com alto índice de ruído, postura inadequada e sobrecarga de trabalho.

Mas as doenças ocupacionais não são os únicos riscos à saúde dos colaboradores no ambiente de trabalho. Na verdade, costuma haver bastante confusão quando se trata desse assunto, e vale a pena entender melhor essas diferenças.

Doenças ocupacionais e doenças do trabalho: entenda a diferença

Para a Justiça do Trabalho, quase tudo o que prejudica a saúde do trabalhador durante o exercício de suas funções é considerado um acidente de trabalho, e não apenas as ocorrências imprevistas, repentinas e bruscas, como quedas ou lesões em máquinas. Isso quer dizer que até as doenças ocupacionais causadas pela rotina profissional, mesmo que demorem anos para surgir, também se equiparam a acidentes de trabalho.

No entanto, dentro do grupo das doenças associadas ao trabalho, também existem diferentes categorias. Por exemplo, há características específicas que definem o que é uma doença ocupacional (ou profissional) e o que é uma doença do trabalho, e fica mais fácil entender essa distinção usando exemplos práticos.

Imagine que alguém comece a sentir dores nas articulações das mãos e punhos por passar o dia digitando no computador, e essa rotina de trabalho leve a uma condição de LER (Lesão por Esforço Repetitivo). Isso é uma doença profissional: a lesão foi causada pelas características do trabalho da pessoa, que é digitar.

Agora, se essa mesma pessoa realiza a atividade de digitação em um ambiente de ruído excessivo, ela também pode desenvolver problemas de audição. Essa perda auditiva, no caso, não é considerada uma doença ocupacional, e sim uma doença do trabalho, já que ela não é uma consequência direta da função profissional, mas foi provocada pelas condições existentes no ambiente de trabalho, ainda que de forma paralela.

Plano de combate ao burnout

Principais doenças ocupacionais

Agora que já sabemos o que são doenças profissionais e entendemos melhor algumas distinções entre os diversos tipos de problemas de saúde que podem acontecer no ambiente de trabalho, é hora de conhecer algumas das principais doenças ocupacionais que existem.

Essa listagem está sempre sendo atualizada, já que o mercado de trabalho também é dinâmico. Recentemente, por exemplo, o burnout foi considerado como uma doença ocupacional pelo Ministério do Trabalho. Isso mostra como a saúde mental dos colaboradores também corre risco durante a execução de suas atividades.

Na verdade, os transtornos mentais e comportamentais relacionados ao trabalho, juntamente com as patologias osteomusculares, são as doenças ocupacionais mais notificadas no país, segundo estudos do Governo Federal.

Algumas das doenças ocupacionais mais conhecidas e comuns são:

  • LER/DORT;
  • Doenças psicossociais (estresse crônico/burnout/ansiedade/depressão);
  • Doenças respiratórias (asma ocupacional/antracose pulmonar);
  • Problemas de visão;
  • Perda auditiva;
  • Problemas na coluna vertebral.

Como evitar problemas de saúde em sua empresa

Como já ficou claro, trabalhar pode ser perigoso e exige cuidado. Cada tipo de atividade profissional tem seus próprios riscos, e como responsável pela gestão de pessoas ou gerente de Recursos Humanos, você tem um papel crucial nessa questão. A boa notícia é que existem diversas ações e iniciativas preventivas que podem ser implementadas para reduzir a chance de surgirem problemas de saúde em sua equipe. Conheça algumas delas:

Observe a legislação

Existem inúmeras regras e procedimentos registrados na legislação trabalhista que visam assegurar a saúde do trabalhador e prevenir a ocorrência de problemas. Desde normas técnicas de segurança no trabalho, como uso de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e rotinas de análise de risco, até treinamentos de prevenção de acidentes e realização de ginástica laboral, há toda uma gama de orientações e boas práticas que foram criadas para evitar o surgimento de doenças associadas ao exercício da profissão. Garantir que sua equipe esteja amparada nesse sentido é um requisito básico se você quer promover a saúde da sua força de trabalho.

Aposte na informação

Informação é poder, e se os colaboradores da sua empresa estiverem cientes dos riscos que correm e bem orientados sobre as formas de prevenir essas doenças, sua equipe poderá trabalhar mais segura e saudável. Para isso, é recomendado promover palestras, divulgar materiais e compartilhar dicas sobre a importância dessas questões, ensinando as pessoas sobre a postura correta que devem manter, as pausas periódicas que devem fazer e os exames preventivos que precisam realizar para monitorar seu estado de saúde geral. Procure ser diligente e lançar campanhas de conscientização sobre esse tema de tempos em tempos, incluindo exercícios físicos até mesmo nas reuniões como forma de manter o assunto sempre em pauta.

Capriche nos benefícios

Alguns dos direitos trabalhistas mais tradicionais, como férias remuneradas e seguro contra acidentes de trabalho, já são, de certa forma, benefícios que ajudam os colaboradores a cuidar de sua saúde física e mental. Mas você pode ir além e oferecer à sua equipe um pacote complementar de benefícios corporativos com diversos recursos que ajudem as pessoas a se cuidar e estimulem uma rotina de trabalho mais sadia e feliz.

Esses benefícios podem ser os mais variados, desde planos de saúde e convênios com clínicas médicas próximas à empresa até a oferta de refeições e lanches saudáveis para as pessoas durante o expediente. Além disso, estimular a equipe a fazer atividades físicas é importante, e já se sabe que o exercício, por si só, pode melhorar a saúde dos colaboradores. Por isso, seu pacote de benefícios também deve incluir um bom programa de bem-estar corporativo, que facilite o acesso dos membros da equipe a academias e estúdios de sua preferência, bem como serviços terapêuticos de relaxamento e cuidado mental.

A importância de investir na saúde do colaborador

Uma equipe saudável e disposta a dar o seu melhor é o principal diferencial de mercado que uma empresa pode desejar. Por isso, cuidar bem desse ativo e investir na saúde dos seus colaboradores é uma estratégia de negócio fundamental para ter sucesso em um ambiente econômico cada vez mais competitivo.

Basta parar e pensar: quem não gostaria de trabalhar em uma organização que valoriza sua saúde e seu bem-estar? As pesquisas têm essa resposta: 85% dos trabalhadores afirmam que permanecerão em um cargo se perceberem que a empresa se preocupa com seu bem-estar, enquanto 87% dizem que provavelmente procurariam outro emprego se notassem o contrário. Traduzindo: investir na saúde do colaborador é uma ótima estratégia de atração de talentos e retenção de profissionais.

E tem mais: já se sabe que colaboradores saudáveis e felizes não só faltam menos, como também produzem mais e melhor, gerando mais lucro. Ou seja, oferecer ao seu time as melhores condições para cuidarem de sua saúde física e mental é garantia de maior produtividade e retorno financeiro para seu negócio, com resultados positivos para todos.

Como já vimos, uma das principais formas de combater o surgimento de doenças ocupacionais em sua força de trabalho é oferecer uma gama de benefícios flexíveis que proporcionem o descanso necessário e estimulem a prática de exercícios físicos. Nessa hora, você pode contar com o Wellhub. Somos a maior plataforma global de bem-estar corporativo, com uma rede credenciada de mais de 50 mil academias, estúdios e aplicativos de saúde física e mental. Com planos acessíveis e mais de 700 opções de atividades incluídas, seus colaboradores terão tudo o que precisam para manter sua saúde em dia e produzir em alto nível. Fale com nossos consultores e saiba mais!

Fale com um especialista em bem-estar do Wellhub

Referências


Compartilhe


Wellhub Editorial Team

A Equipe Editorial do Wellhub traz aos líderes de RH as informações necessárias para promover o bem-estar dos colaboradores. Em um cenário profissional em rápida evolução, nossas pesquisas, análises de tendências e guias práticos são ferramentas importantes para levar cada vez mais satisfação e saúde ao ambiente de trabalho.